PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Açúcar ou adoçante? Entenda qual é a melhor opção

Verônica Laino

21/01/2020 04h00

Crédito: iStock

Todo começo do ano as pessoas estão super motivadas a reduzir peso e se alimentar melhor. Uma atitude muito comum é cortar alimentos que tenha açúcar adicionado, o que é uma atitude super legal para o dia a dia. Porém eu observo que muita gente acaba substituindo pelo adoçante, mas será que esta troca vale a pena? Já que os adoçantes não tem calorias, será que podemos consumir à vontade?

Vamos por partes…

Primeiro vamos pensar nos açúcares, será que é tudo igual?

Todo açúcar é feito a partir da cana, que de acordo com o processo de refinamento obtemos o açúcar mascavo, seguido pelo demerara, o cristal e, por último, o refinado. O refinamento acaba utilizando produtos químicos, podendo incluir até soda cáustica para branquear o açúcar.

Então pensando no alimento mais próximo ao natural, o açúcar mascavo é o melhor, já que está livre alguns produtos químicos e ainda possui ferro.

No quesito calorias, todos os açúcares possuem praticamente o mesmo valor calórico, então não faz muita diferença optar por um ou por outro pensando nesse item, por isso temos que focar no valor nutricional e no consumo menor de substâncias químicas ao optar pelo açúcar menos refinado.

Temos também o açúcar light, que é menos calórico, pois ele é composto de metade açúcar e metade adoçante. O que temos que tomar cuidado é que nem sempre este adoçante adicionado é o adoçante natural e normalmente é feito com açúcar refinado, portanto, pensando na saúde, esta não é a melhor opção apesar de ter menos caloria.

Crédito: iStock

Uma troca muito comum é adoçar os alimentos com mel, mas será que a troca vale a pena? Depende! Se for para consumir o mel cru (sem aquecer), vale a pena sim, já que assim ele tem ação anti-inflamatória. O que temos que lembrar é que o mel contém praticamente a mesma quantidade de carboidrato simples que o açúcar, então pensando nas calorias não faz diferença consumir um ou outro.

Já o adoçante é um produto alimentício que não pode ser considerado comida de verdade pois é produzido na indústria para ter um baixo ou nenhum valor calórico, mas que fornece um gosto adocicado aos alimentos. A ideia era criar algo doce para os diabéticos que não podem consumir açúcar e também com foco na dieta, com intuito de reduzir as calorias diárias.

Claro que ao optar pelo adoçante, você está sim reduzindo as calorias ingeridas, mas isso não significa necessariamente algo positivo, pois hoje já sabemos que o uso de adoçante no dia a dia pode alterar a microbiota intestinal, que são as bactérias boas do nosso intestino, responsáveis por produzir 70% da nossa imunidade, que ajudam nosso corpo a ter mais saúde e que controlam os efeitos colaterais do estresse, até mesmo ajudando o corpo a reduzir peso.

Por estes motivos já podemos dizer que o adoçante não é uma substituição tão legal assim, pois ele até pode ajudar as pessoas reduzir as calorias da dieta, mas seu consumo diário acaba trazendo consequências negativas.

Portanto, entre açúcar e adoçante o ideal é reduzir o consumo dos dois e não substituir um pelo outro. Tente reduzir a quantidade utilizada, adapte o seu paladar para consumir as bebidas sem adoçar, aprecie o amargo do café, o azedo do limão e assim por diante.

Créditos: Leo Avesani

Em receitas, utilize as frutas como banana madura, ameixa ou uva passa para adoçar o bolo, por exemplo. Para ser saudável o foco é aprender a sentir o paladar real dos alimentos, sendo que quanto mais açúcar ou adoçante consumimos, mais temos vontade de comer.

Estudos recentes mostram que quando exageramos no adoçante, inclusive em paciente com diabetes tipo 2, temos um efeito colateral que está relacionado com a resistência insulínica, já que o consumo de adoçante estimula a produção de hormônios que desregulam a quantidade de açúcar no sangue, ou seja, quando você consome algo com adoçante, o sabor doce é percebido na boca, o que estimula a produção de insulina, favorecendo ao quadro de resistência insulínica, ganho de gordura no fígado e aumento de peso.

Então se você quer ser saudável, deixe o açúcar e o adoçante para o final de semana, para o bolo do aniversário, para a sobremesa de domingo, mas evite o consumo no dia a dia.

Sobre o autor

Verônica Laino é formada em Nutrição pela USP (Universidade de São Paulo), pós-graduada em Nutrição Clínica e Esportiva Funcional e coach de emagrecimento. Trabalhou em clínica particular por sete anos e hoje dedica seu tempo aos seus coachees e à produção de conteúdo online, mídias sociais e eventos, como forma de alcançar cada vez mais pessoas e ajudá-las a levar uma vida prática, saudável, balanceada e gostosa.

Sobre o blog

Dicas sobre nutrição, com foco na alimentação de verdade (e sem radicalismo), que vão te ajudar a fazer alterações concretas no seu estilo de vida. A ideia é que você alcance o seu verdadeiro potencial e atinja sua melhor versão.

Verônica Laino